Blog

Lançamento dos documentários com Teatro Playback

A Dionisos embarcou na proposta de realizar um documentário tendo o Teatro Playback como linha condutora a partir do convite do fotógrafo e diretor Fabrício Porto. A proposta desse projeto foi colher histórias através deste formato teatral e utilizar o ambiente sensível e descontraído que ele proporciona direcionando-o para o cinema.

A partir de histórias contadas durante quatro apresentações da Dionisos Teatro, os três filmes recontam essas histórias em formato de documentário. Além de explicar um pouco sobre como é o formato de Teatro Playback, o filme dá ênfase aos desdobramentos que essas histórias podem ter.

Esse projeto foi contemplado no Edital de Apoio a Cultura de Joinville, e conta com o patrocínio da Prefeitura de Joinville e Secretaria de Cultura e Turismo – SECULT.

Programação Local de Cinema: Mostra Doc.playback
Dia 12/08
Horário: 20h
Local: Teatro do Sesc em Joinville. Rua Itaiópolis, 470 – América
Entrada franca, sem a necessidade de retirada de ingressos (sujeito à lotação).
Evento no Facebook
“Meu nome é Alice”
De Fabrício Porto. Brasil, 2017. Documentário, 25 min. Classificação: 10 anos.
Sinopse: No palco, Alice contou parte de sua história. No entanto, foi no espaço documental que ela deu continuidade. Ela falou sobre suas relações de amizade e como teve que superar os desafios de ser trans num mundo repleto de preconceitos.
“O álbum de Márcia”
De Fabrício Porto. Brasil, 2017. Documentário, 20 min. Classificação: 10 anos.
Sinopse: Com a ajuda de seu álbum de fotografias, Márcia continua a contar sua história que iniciou no palco. As fotos de Márcia compõe um mosaico de uma vida de alegrias, mas também lembram momentos difíceis que passou antes de conhecer seu atual companheiro.
“Onélia”
De Fabrício Porto. Brasil, 2017. Documentário, 20 min. Classificação: 10 anos.
Sinopse: A alegria que Dona Onélia trouxe ao palco esconde um passado difícil de sonhos perdidos. Sempre com um sorriso no rosto, ela conta no filme como a paixão pela música e pela dança a ajudou a superar a perda do filho e algumas desilusões de sua vida.

 

 

Deixe seu comentário