Blog

1º Encontro Brasileiro de Teatro Playback: um relato poético

por Clarice Steil Siewert

Sob o abraço da chuva, Joinville recebeu os integrantes do 1º Encontro Brasileiro de Teatro Playback, vindos “cada um em sua canoa”, de cinco Estados diferentes e do Distrito Federal. No aconchego da AMORABI – Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Itinga, os playbackers, experientes ou iniciantes, puderam celebrar essa 1ª vez de estar juntos.

Essa grande 1ª vez foi pensada e organizada com carinho, por quase um ano, e entregue nas mãos de todos às 19 horas do dia 09 de outubro de 2015. Após os sons e cheiros da abertura, de canoas e curumins, o grupo Abismo recebeu seus convidados, os de fora e os de dentro, dizendo que o Playback no Brasil é jovem, vigoroso e se faz no coletivo.

Os dois dias seguintes, correntes como a água que a cidade mandava, foram marcados pelas ofertas dos que ministraram oficinas, falas, workshops. Troca de conhecimento, de contatos, de espantos. Quando a noite vinha, era hora de histórias. E teve o Grupo Libração, dizendo que o Playback no Brasil é inclusivo, necessário e transformador. E teve o Grupo Cheios de Graça, dizendo que o Playback no Brasil é inventivo, colorido e sonhador. E teve o Grupo Caras de Palco, dizendo que o Playback no Brasil é agregador, colaborativo e batalhador.

E na fala da menina de cabelos encaracolados, estava a felicidade de conhecer e admirar o diferente e ganhar um abraço surdo. Assim também estavam todos que ganharam seus sinais, que ganharam um nome surdo. E também na fala do senhor orgulhoso de colocar os tijolos na AMORABI, que naquela noite recebia tanta gente. E toda essa gente sentiu que também colocavam seus tijolos na construção da comunidade brasileira de playback. E na fala da mulher que fez de tudo para ver o teatro de “feedback”, tivemos um feedback de nossa importância e potência.

O último dia foi marcado por uma apresentação especial, onde os mais antigos se encontraram novamente e ofertaram sua experiência. As últimas histórias celebraram a arte e os humanos que se juntam para fazê-la. Celebraram os grupos que dão apoio e os encontros que nos alimentam. E o grupo dos “dinossauros” nos disse que o Playback no Brasil é artístico, celebrativo e feito por amigos.

Nesses dias todos, as gotas de chuva começaram pequenas, por vezes viraram tormenta, sempre sonoras, no embalo das histórias. Terminaram encharcando a terra e os que nela pisaram, lavando suas peles e seus dentros, deixando solo fértil para os próximos encontros.

Comentários (4)

  1. "

    Lindas palavras. Foi bem assim mesmo! <3
    Obrigada por tanta dedicação, Clara… Vc é foda. Hihihihihihi
    Beijos

    "
    Manoella
  2. "

    Lindo texto cheio de imagens suaves, porem densas, assim como é o Playback. Quem assistiu ou qualquer playbacker que não pode estar no encontro, também saiu reconfortado.

    "
    Therezinha Marçal
  3. "

    Aiiiiiiiiiiiiiiiii…que lindoooooooooooooooo…FOI TUDO ISSO E MUITO MAIS!!! Gratidão e saudade!!!

    "
    Chico Oliveira
  4. "

    Impossível não se emocionar com essas mágicas palavras que descreveram tão bem esse encontro inesquecível. Obrigada!

    "
    Carolina Fava

Deixe seu comentário