Frankenstein – Medo de Quem?

Frankenstein Medo de Quem?

Vídeos

"adorei muito esse teatro do frankestein eu e meus amigos gostamos muito a parte que eu gostei foi daqueles monstros"leticia fernanda piskeVeja todos os depoimento >

Todos os depoimentos (10)

  1. "

    Para qual faixa etária esta peça é sugerida?

    "
    Bárbara
  2. "

    Olá Bárbara! A peça tem classificação Livre, com indicação para crianças a partir de 07 anos.
    Acompanhadas dos pais podem ir crianças de todas as idades, de zero a cem anos! :)
    Um abraço teatral!

    "
    dionisosteatro
  3. "

    Quando terá apresentação dessa peça em Joinville?

    "
    Patrícia
  4. "

    Olá Patrícia! Ainda não está bem fechado, mas a princípio teremos uma temporada em outubro de 2012. Se você quiser, posso cadastrar seu email para receber nossa programação cultural e informações sobre apresentações, nossas e de outros grupos da cidade. Pode ser? Abraço! :)

    "
    dionisosteatro
  5. "

    Olá

    podem cadastrar meu e-mail para receber a programação cultural e informações sobre apresentações?

    Assisti a peça no Sesc de Jaraguá do Sul, e adorei.

    Um abraço.

    "
    Sibele
  6. "

    Olá Sibele. Muito obrigado por entrar em contato e que bom que você gostou do espetáculo! Seu email já foi anexado na nossa mala direta. No dia 3 de Outubro estaremos nos apresentando no Festival de Formas Animadas de Jaraguá do Sul. Serão duas apresentações, uma pela manhã outra pela tarde no teatro da Scar.
    Um abraço de todo o grupo.

    "
    dionisosteatro
  7. "

    Boa Noite,

    gostaria de estar recebendo maiores informações diariamente, sobre apresentações do teatro de vcs e para que faixa etária a peça é sugerida…Obrigada.
    Abraços,

    Silvane.

    "
    Silvane
  8. "

    Assistí este espetáculo em um pequeno Teatro de uma cidade do interior catarinense e fiquei surpresa com a plasticidade do trabalho e todo o conjunto cênico.
    É lindo e imperdível!!! Que bom se todas as crianças pudessem conhecer trabalhos de tanta qualidade como este.
    Parabéns.

    "
    Patricia Zimmermann
  9. "

    adorei muito esse teatro do frankestein eu e meus amigos gostamos muito a parte que eu gostei foi daqueles monstros

    "
    leticia fernanda piske
  10. "

    Quando eu fui com os meus amigos da escola municipal professor Honório Saldo, nós gostamos muito do teatro Frankenstein. Achamos muito engraçado e legal

    "
    Leticia Fernanda Piske

Deixe seu depoimento

Sinopse

Victoria Frankenstein dá vida a uma criatura diferente. Após o aprendizado dos primeiros passos, esse ser começa a conhecer o mundo e seus habitantes, percebendo que o convívio com os outros pode ser assustador. Ao mesmo tempo em que descobre a doçura de Melina se depara com a hostilidade de Artur. A vida dessa criatura passa a ser uma mistura de medo, amizade, preconceito e amor.

Estreia em Junho de 2011.


Ficha técnica

Direção: Osvaldo Gabrieli

Elenco: Andréia Malena Rocha, Clarice Steil Siewert, Eduardo Campos e Vinícius Ferreira

Dramaturgia: Osvaldo Gabrieli e o grupo, baseado no romance “Frankenstein ou o Prometeu Moderno” de Mary Shelley

Figurinos: Lucas David

Máscaras: Osvaldo Gabrieli

Cenografia: Osvaldo Gabrieli

Cenotécnica: Bruno Pereira Nogueira e Ordilei Soares

Iluminação: Osvaldo Gabrieli, Hélio Muniz e Flávio Andrade

Trilha Sonora: Lausivan Corrêa, Andréia Malena Rocha e Vinícius Ferreira

Direção Musical: Lausivan Corrêa

Operação de Luz: Flávio Andrade / Manoella Carolina Rego

Operação de Som e sonoplastia com teclado: Manoella Carolina Rego

Material gráfico: Ismael Ramos

Fotografia e Documentação Audiovisual: Base Digital

Assistência de Produção: Manoella Carolina Rego


Histórico e Premiações

  • 2013 | Prêmio Myriam Muniz de Teatro, com patrocínio da Petrobras para a circulação com três espetáculo em cidades de Santa Catarina e Paraná
  • 2013 | • Participação da peça FRANKENSTEIN – Medo de Quem? no 7º Festival Internacional de Teatro de Animação – FITA - Floripa – Florianópolis SC
  • 2012 | Participação na Aldeia Palco Giratório em Florianópolis - SC.
  • 2012 | Participação no 12o. Festival de Formas Animadas em Jaraguá do Sul – SC.
  • 2012 | Participação no 19o Floripa Teatro - Festival Isnard Azevedo em Florianópolis - SC.
  • 2012 | Participação no FETACAM 2012 - Festival de Teatro de Campo Mourão PR.
  • 2012 | Participação no XII Festival de Teatro de Resende – RJ.
  • 2012 | Projeto Emcenacatarina do SESC, com 26 apresentações pelo Estado de Santa Catarina
  • 2011 | CENA 8 – Mostra da Associação Joinvilense de Teatro
  • 2011 | 16º. Festival Catarinense de Teatro em Rio do Sul/SC

Sobre o espetáculo

“Frankenstein – Medo de Quem?” foi um espetáculo contemplado pelo prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz com o patrocínio da Petrobras.

A Dionisos Teatro, desde o início de sua trajetória em 1997, tem Silvestre Ferreira como fundador e diretor da companhia. Entretanto, na busca de novos desafios, o grupo convida Osvaldo Gabrieli, diretor do XPTO de São Paulo para sua nova montagem.

Trata-se de um espetáculo para crianças e jovens baseado no romance “Frankenstein ou o Prometeu Moderno” de Mary Shelley. A famosa história do cientista que cria um ser monstruoso serve como a base da criação de um espetáculo fundamentado mais na ação física do que na expressão verbal, e que atravessa as questões de relação criador X criatura, preconceito e aceitação.

A figura do monstro perpassa a história da humanidade, sendo que a criatura de Frankenstein se tornou figura emblemática do ser sem identidade, renegado, não aceito. Como aponta Bellei (2000, p. 11) “[...] o monstro é aquela criatura que se encontra na ou além da fronteira, mas está sempre e paradoxalmente próximo e distante do humano, que tem por função delimitar e legitimar”[1]. Nessa perspectiva, entende-se a presença dessa figura no universo infanto-juvenil, desde que o “normal” se estabelece na comparação com o “diferente”. Também a busca da identidade, do seu grupo, de ser aceito são questões que atingem a criança e o adolescente de forma contundente.

A ideia de trabalhar sem o suporte da palavra em português foi surgindo nos laboratórios de pesquisa, sendo que também a dramaturgia foi se delineando a partir da cena e dos exercícios propostos pela direção. Nesta montagem os atores utilizam línguas inventadas e o som de instrumentos musicais para compor suas falas, desenhar a própria narrativa da história e as intenções e tensões emocionais das personagens. O movimento dos atores é delineado como uma partitura corporal tomando o expressionismo alemão como inspiração.

Na obra utilizam-se máscaras realizadas com desempenadeiras de construção civil que também se transformam em armas e janelas. A cenografia é composta de estruturas metálicas móveis que permitem diversas configurações de cena. Também são utilizadas no decorrer da obra algumas técnicas de teatro de animação e sombras. A música ao vivo e a trilha sonora pontuam a ação das personagens, criando também diferentes ambientações emocionais para emoldurar a trama.



[1] BELLEI, Sérgio Luiz Prado. Monstros, Índios e Canibais: Ensaios de Crítica Literária e Cultural. Florianópolis : Insular, 2000.