Lá na Lua

LánaLua3

Vídeos

"Vocês são maravilhosos!! Crianças e adultos ficam encantados com as histórias. Parabéns!!"Daiane NovaesVeja todos os depoimento >

Todos os depoimentos (1)

  1. "

    Vocês são maravilhosos!! Crianças e adultos ficam encantados com as histórias. Parabéns!!

    "
    Daiane Novaes

Deixe seu depoimento

Sinopse

Fui pra lua e levei… Um violão? Um cavalo? Um carrinho de picolé? Em “Lá na Lua” a gente pode levar o que quiser, é só se deixar envolver pelas canções e histórias que compõem este espetáculo. Inspirado em lendas sobre a lua, com histórias e canções próprias e com uma pitada de brincadeira, a Dionisos convida as crianças e seus adultos a participarem desta serenata para nossa divertida e misteriosa Lua. Estreia em Agosto de 2014.


Ficha técnica

Direção: Silvestre Ferreira

Dramaturgia: O grupo

Elenco: Clarice Steil Siewert, Eduardo Campos, Andréia Malena Rocha e Vinícius Ferreira.

Músicas e Letras: Andréia Malena Rocha e Vinícius Ferreira.

Sonoridades: O grupo

Preparação Vocal: Babaya

Figurinos, Maquiagem e Cenografia: O grupo

Produção: O grupo com o apoio de Manoella Carolina Rego

Cenotecnia: O grupo com o apoio de Marcelo de Mello

Locução Inicial: Marco Camargo

Identidade Visual: Ismael Ramos

Indicação: a partir de 5 anos

Duração: 40 minutos

 

Agradecimentos

Adriana Geremias da Silva

Eliane Puhl

Gigante

Mãe Ervi

Narana

Nilton Tirotti

Samuel Kühn

Sandra Amalia de Oliveira


Histórico e Premiações

  • 2015 | "Projeto GRIOT 2014: Contando histórias..." - Florianópolis, SC.
  • 2015 | 18º Festival Catarinense de Teatro - Concórdia, SC.
  • 2014 | 1ª Feira do Livro de Piçarras, SC.
  • 2014 | 20ª Edição do PROLER - Joinville, SC.

Sobre a Montagem

Histórico da Montagem:

O projeto de montagem de “Lá na Lua” foi contemplado no Edital Municipal com o patrocínio do Município de Joinville, da Fundação Cultural de Joinville e do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura em 2014. Teve sua estreia em agosto deste mesmo ano no Galpão de Teatro da AJOTE.

A peça já fez diversas apresentações em Escolas e CEI´s da cidade de Joinville e região, fez o encerramento da 20ª. edição do PROLER Joinville e integrou a programação da 1ª Feira do Livro de Balneário Piçarras. Participou do Projeto GRIOT 2014: Contando histórias… em Florianópolis e do 18 Festival Catarinense de Teatro em Concórdia, SC.

Concepeção Cênica:

Desde o início, a Dionisos buscou em sua linguagem gerar a sonoridade dos espetáculos a partir da cena. Nos últimos trabalhos essa característica tem se intensificado, visto que os atores-compositores têm criado as trilhas, músicas e sonoridades dos trabalhos, hora com convidados, hora sozinhos, tendo o espetáculo para crianças “Frankenstein – Medo de Quem?” como referência do grupo nesta pesquisa, que contou com Lausivan Corrêa como convidado.

“Lá na Lua” teve como ponto de partida músicas voltadas para crianças, compostas por Andréia Malena Rocha e Vinícius Ferreira, integrantes do elenco. Para este trabalho, convidamos Babaya, cantora e preparadora vocal de Belo Horizonte, como preparadora do grupo para o canto em cena. A Lua, como elemento inspirador do espetáculo, norteou as pesquisas de lendas e histórias para compor o trabalho. Assim, as histórias foram criadas de forma que, junto com as canções, ofereçam ao público um universo de magia, encantamento, mistério e brincadeiras.

O trabalho de narrativa de histórias com uma pitada de teatralidade, outra vertente que o grupo explora desde sua criação, também é fundamento deste espetáculo. A escrita da história inicia num processo colaborativo, um interferindo no texto do outro, que só vai ser finalizado quando posta em cena. Também a partir de jogos corporais e lúdicos propostos coletivamente, as histórias e suas sonoridades vão se concretizando no palco.

“Lá na Lua” ainda recebe a interferência de outra pesquisa do grupo: o teatro playback. Através dele, o grupo coletou histórias de infância reais que contribuíram para o início da criação, servindo como alimento para o processo criativo. Além disso, as formas curtas do teatro playback, tais como escultura fluída, pares, coro e narrativa em V também foram bases para contar as histórias criadas.

O universo infantil, atualmente, é visto como uma grande oportunidade para o mercado consumidor. Acompanhando o ritmo frenético do descarte e da tecnologia, o brinquedo é alvo dos modismos, e a criança muitas vezes passa a ser privada do contato com um ambiente mais poético, lúdico e criativo. Acreditando na magia do encontro que o teatro proporciona, o espetáculo busca valorizar a simplicidade das brincadeiras e da imaginação, cantando e contando histórias, investindo no jogo cênico, com a utilização de elementos sonoros apostando que o lúdico e o poético ainda têm lugar no universo da criança.